blog para compartilhar sinais, trends, insights, futuro e muita coolness !


BOOKLOVER | Quem è Deus?

Aconselho sua leitura a quem está querendo entender os movimentos fundamentalistas atuais.

Read More

ART | A Post-Truth colossal de Damien Hirst em Venezia

A operação desta mostra è sem precedentes: um percurso expositivo assim nunca foi realizado!

Read More

A Psicologia è a Ciència mais pròxima à Religiào

O Vaticano se abre à discussào cientìfica esta semana comemorando o padre criador do big bang!

Read More 0 Comments

TREND | A Era da Cosmètica eco-conscious

A natureza e seus ciclos como uma panacéia contra o ritmo frenético de um mundo hiperconectado?

Read More 0 Comments

TREND | Spiritual Design ou The Religious Contemporary Design

A transmutação da luz em energia vital: uma bela metáfora para o Design!

Read More 0 Comments

Ser màe? Sim, depois dos 40!

ESTOU AMANDO A MATERNIDADE, MAS uma existência sem filhos tambèm pode ser divertida, ORAS. A CADA UM A SUA ESCOLHA!

Read More 2 Comments

design | O que resta hoje das lições de Mies Van der Rohe?

Read More 0 Comments

foodlover | Panettone: uma invenção milanesa!

existe um código disciplinar que o protege e em 2015 foram produzidos aqui mais de 120 milhões de peças, distribuídas em todo o mundo!

Read More 0 Comments

TRENDS | Quando a SciFi auxilia nosso Forecast

A Science Fiction è uma narração E uma maneira de prever possibilidades futuras.

Read More 0 Comments

MOOD | Não ter filhos: algum problema?

A versão dualista da feminilidade onde mãe è igual a bem e mulher è igual ao mal acabou com a liberdade sexual?

Read More

ZEITGEIST | A morte do Pai ou como nasceram os Neets

Não é uma condição invejável a das novas gerações: a transgressão - ausència de limites - parece ter sido substituída por uma solidão impressionante...

Read More

winelovers | Cantina Antinori

uma das famìlias vinìcolas mais antigas da Europa na cantina mais espetacular que vocè pode ter visto!

Read More 0 Comments

ZEITGEIST | O dark side da Sharing Economy: case Foodora

Na economia onde o risco è sobre quem trabalha, Nòs, consumidores conscientes, devemos sempre nos perguntar: porque este serviço custa pouco?

Read More 0 Comments

trend | A Crossfertilization de Issey Miyake

a possibilidade de adotar inovações experimentadas em outros setores/âmbitos diversos è a grande oportunidade atual das empresas !

Read More 1 Comments

foodlover | Trieste: a capital italiana dos caffès

Foi Aqui, Nas Dezenas de cafès històricos espalhados pela cidade, que nasceu o hàbito da fumegante taça de espresso acompanhada de um bom bate papo!

Read More 3 Comments

foodlover | O inventor da torta de avelãs

Giuseppe CAnobbio è uma lenda viva, e nào è um caso que Petrini, de Slow Food, seja seu maior admirador!

Read More

zeitgeist | Do que você tem medo ?

Virtualizamos nosso medo, mas ele continua atrás das nossas portas com outros nomes...

Read More 0 Comments

macrotrend | o fim da Globalização

E os millenials serão a ultima geração deste mood...

Read More 1 Comments

O novo milagre de Christo

Apenas uma vez na vida vocês poderão caminhar sobre as águas por 16 dias!

Read More 2 Comments

Como fugir do Brasil

soluções à disposição para o descontentamento com a própria vida no país.

Read More

FUTURE | From I to WE ou o Terzo Paradiso

quando este interregno tiver terminado, terà inìcio o terzo paradiso, acredita Michelangelo Pistoletto.

Read More 0 Comments

ZEITGEIST | A Cosmogonia da nossa extinção

o quanto è importante afrontar a questào do Nosso fim, no contexto da arte contemporànea ?

Read More 0 Comments

ZEITGEIST | Chaos: a lei que governa o universo

tema de base presente nas mostras de Arte aqui na Europa e que nomeia o sentimento micro/macro do nosso zeitgeist...

Read More 0 Comments

#InputsFromFuorisalone | Belgian Matters

atualmente os belgas, no design, enfatizam o confronto e os pontos de convergência entre designers e empresas de manufatura.

Read More 0 Comments

#InputsFromFuorisalone | The RESTAURANT by Dixon & Caesarstone

Quando uma mostra de design parte de um conceito filosòfico prè-socràtico, o resultado sò pode ser magnìfico. A filosofia voltou ao design, oba!

Read More 0 Comments

#InputsFromFuorisalone | Masterly, The Dutch

um objeto que busca apenas atender a um conceito especìfico tem seus dias contados.

Read More 0 Comments

#InputsFromFuorisalone | A Altra Bellezza do maestro Gaetano Pesce

O design deve voltar a reinterpretar a sociedade e nào apenas decorà-la.

Read More 0 Comments

#InputsFromFuorisalone | Quando a Bellezza encontra o Design

Afinal, o que é beleza? Gosto se discute? A Beleza deve ser analisada friamente ou livre das amarras da razão?

Read More 0 Comments

#InputsFromFuorisalone | Beyond de Veuve Clicquot entre Arte, Design & Food

o grupo #InputsFromFuorisalone foi convidado para admirar uma das best performances do Fuorisalone: a Beyond, em parceria com Veuve Clicquot e Fabrica.

Read More 0 Comments

#InputsFromFuorisalone | A lògica que nos une ao Design

Culta e irònica, mostrada de forma ambìgua mas evocativa, uma das mostras mais interessantes da XXI Esposizione Internazionale no fuorisalone 2016.

Read More 0 Comments

#InputsFromFuorisalone | O Design e o Sagrado

ir além do objeto, em busca de um significado sacro è o leitmotiv de 'design behind design': A primeira mostra mundial em parceria com a igreja catòlica!

Read More 0 Comments

#InputsFromFuorisalone | La bellezza quotidiana de Monza

descubra o design made in italy junto das grandes belezas italianas na ocasiào do Fuorisalone 2016!

Read More 0 Comments

#InputsFromFuorisalone | A grande 'Design After Design'!

acontece em Milão algo bem mais importante do que o salone del mobile: Quem tiver olhos (e pernas!) vai enlouquecer. Dà uma olhada e deleite-se!

Read More 0 Comments

Inicia o FUORISALONE 2016!

fuorisalone Ou salone, em qual investir mais tempo?

Read More 6 Comments

ZEITGEIST | Como enxergar e VER o que está acontecendo?

para saber o que está acontecendo e quais forças estão em ação neste momento, devemos descobrir os modelos de pensamento mostrados nos arquétipos.

Read More 0 Comments

foodlover |Spritz di Padova

O spritz, ou Aperol Spritz parece ter virado uma febre mundial. mas, vocè realmente sabe quais sào os ingredientes originais e onde ele foi inventado?

Read More 0 Comments

foodlover | Um mercado com 800 anos ainda em atividade!

Dando sequència aos mercados mais lindos da Itàlia, hoje trago meu preferido: o de Padova, no Vèneto.

Read More 0 Comments

A origem do Ovo de Pàscoa!

Ele e tantas outras delìcias de chocolate tem a sua paternidade nos cicolaté torineses, sabiam?

Read More 0 Comments

foodlover | Baci do Piemonte

Pàscoa quase aì e entào no post conheceremos uma cidade pequenina do Piemonte, que è a famosa capital do chocolate italiano, depois de torino: Cherasco.

Read More 0 Comments

zeitgeist | Terrorismo: a era da ansiedade perene

Qual è o perigo para o INCONSCIENTE coletivo do Ocidente depois deste novo ataque do Terrorismo no coraçào da Europa?

Read More 2 Comments

La Grande Bellezza de Cittadela, cidade fortaleza!

hoje convido vocès a conhecerem Cittadella, que è uma explèndida cidade italiana murada, de origens medievais, antiga 800 anos !

Read More 0 Comments

future | Transhumanismo: morrer ou modificar-se?

Ele jà influencia o design dos novos objetos, os serviços e tecnologias, e, claro, nossos corpos e comportamentos. 

Read More

foodlover | Os tesouros de Boccadasse

belo e antigo borgo de pescadores que deu origem ao bairro La Boca de Buenos Aires, e à primeira gelateria artesanal da Itàlia!

Read More 0 Comments

zeitgeist | Online Narcissism

Você está cansado das notícias de banalidades de seus amigos de Instagram e Facebook?

Read More 0 Comments

Milan Fashion Week 2016: um simbòlico Renascimento

destruiçào criativa em um cenário pòs-apocalìtico com glamour hardcore e romantismo intelectual.

Read More 3 Comments

Milan Fashion Week 2016: o fim das estaçòes?

O prêt à porter se adequou ao ritmo da fast fashion para ser mais competitivo e intensificou as cruise collections. Mas nào basta...

Read More 3 Comments

Milan Fashion Week 2016: o rei està nu. Definitivamente.

uma breve anàlise do novo fashion system em açào na exòtica Fashion Week milanesa.

Read More 2 Comments

zeitgeist | Viktualienmarkt

Acredito que a verdadeira alma de uma cidade e de seu povo se sente INTENSAMENTE nestes locais...

Read More 0 Comments

foodlover | Mercados d'Itàlia!

frutas e verduras no supermercado? Totalmente out! o boom do street food invadiu as cidades que agora concorrem entre si para terem o local mais representativo da tradiçào gastronòmica local.

Read More 0 Comments

foodlover | A cerveja original

o hábito do “vamos tomar uma cervejinha no bar” nasceu na Augustiner-Bräu de Munique, SABIAM?

Read More 1 Comments

trend | Telegram ou o direito ao esquecimento

tecnologia, sim, mas baseada em um comportamento naturalmente humano: o PAVOR DA traciabilidade, um dos tabus contemporàneos, ou melhor, a nossa mais atual obsessào.

Read More 3 Comments

zeitgeist | München rocks :)

Um mix de Old (and new) Masters, primeiro museu de design do mundo, Apfelstrudel E Oktoberfest!

Read More 0 Comments

foodlover | Granaio Duomo

Milano do Design, da Moda e dos milhares de novos locais de òtima gastronomia!

Read More 2 Comments

foodlover | Grano Tenero ou Grano Duro?

cada pasta italiana tem a sua farinha, e quem està buscando alternativas para problemas de intolerância ao glúten ou quer se prevenir contra o diabetes deve ficar de olho nas diferenças!

Read More 3 Comments

zeitgeist | Seios à mostra

HOJE virou tabu um gesto natural e saudàvel como amamentar. O seio, centro das polèmicas proibitivas atuais, està deixando a esfera do permitido para a do proibido. Porquè esta neurose coletiva?

Read More 3 Comments

Os tarocchi para foodlovers!

Que surpresa: o antiquìssimo TAROCCHI  junto à Gastronomia. Olhem que bacana essa idèia! 

Read More 0 Comments

comportamento | Poliamor: onde mais è melhor

poliamorosA è UMA PESSOA QUE TEM MUITAS relações CONTEMPORANEAMENTE, ONDE INFIDELIDADE, TRAIçàO E AMANTES NàO FAZEM PARTE DO PACOTE...

Read More 3 Comments

foodlover | Pane Tranvai

o panettone era uma delìcia apenas para os ricos milaneses. Os pobres? Comiam o "pan tranvai“, que, se posso dizer a verdade, è muito melhor!

Read More 1 Comments

design | Contaminação com a Moda

Dois mundos diversos apenas aparentemente: afinal ambos compartilham a intenção de interpretar e concretizar o conforto e a elegância, sendo unidos pelo mesmo denominador, o projeto.

Read More 3 Comments

trend | Tecidos para 2016-2017

Heimtextil é a feira líder mundial em tecidos para decoração da casa em geral que acaba de acontecer em Frankfurt, onde foram apresentadas as tendências para 2016-2017.

Read More 0 Comments

trend | Restaurante ou cinema?

Um caffè letterario, um sushi bar, duas arenas externas para o cinema ao aberto no verào e espaços destinados a  encontros e laboratòrios dedicados ao cinema. No paìs da gastronomia e da cultura por excelència, este mix è uma òtima notìcia!!!

Read More 12 Comments

trend | O fim dos hipermercados?

Acabei de chegar de um giro ràpido no hipermercado perto do escritòrio e fiquei chocada: penso que 60% das lojas foram fechadas. Pesquisando, descobri que è uma onda que està percorrendo toda a Itàlia. O que està acontecendo?

Read More 0 Comments

O novo Medievo feminino

Cansei. Todos os dias notìcias sobre feminicìdio e desrespeito aos direitos civis das mulheres. Chegou a hora de vermos realmente o que està acontecendo dentro de um contexto macro, onde as religiòes tem sim uma grande parcela de culpa.

Read More 0 Comments

trend | Imm Cologne 2016

A IMM Cologne na Alemanha è o similar ao Salone del Mobile italiano onde novidades, tendências e principalmente os humores do mercado são mostrados por primeiro ao mundo.

Read More 0 Comments

foodlover | Le Bellezze di Bologna!

A partir de hoje recuse imitaçòes: conheça os segredos e como se realizam o Ragu’ alla bolognese, Tagliatelle e Tortellini, verdadeiros tesouros da gastronomia Bolognesa.

Read More 0 Comments

trend | Sexodus è o novo narcisimo masculino

Um grupo de mulheres criou uma nova forma de feminismo, cheio de experimentaçào e quebra de tabus em oposiçào à um mundo onde os homens aparentemente estavam pouco à vontade em seu confronto. E estes entào deram origem a um novo comportamento narcisìstico que estamos chamando de Sexodus...

Read More 1 Comments

trend | Adeus target cirùrgico digital

Antes do "talibanismo digital" ou contra-ataque do analògico, a idèia disseminada nas agèncias era a da utopia do target cirùrgico, da publicidade hiper-personalizada graças ao Big Data.

Read More 0 Comments

David Bowie: obra de arte total

Ele foi o primeiro a intuir que o tempo de uma cançào - 3 minutos - poderia ser o suporte de um filme breve e entào foi ele que inventou o clip. Sem David Bowie, a MTV nào teria existido... 

Read More 0 Comments

trend | Experiências Sensoriais em tempos de Vida Digital

Experenciamos momentos de descoberta, de meditação e tranquilidade no caos da vida diária e aqui o foco volta ao valor e nào ao produto, sempre atravès de narrativas. Um nível mais profundo de experiência com a marca se instala e surgem então conexões emocionais e tangíveis.

Read More 0 Comments

trend | Publicidade de mal a pior com os Big Data

A publicidade digital està cada vez menos eficaz servindo pouco às marcas. Alèm disso, irrita os consumidores... O futuro? Espaço ao retorno da tradicional. Neste artigo, o que està acontecendo e quais as vias de saìda.

Read More 0 Comments

trend | Futuro 'branding home sweet home' 

Quando falamos de tendências no design, nào importam apenas cores, formas e materiais: a forma como ele è conduzido pelas indústrias tambèm evolui e então è relevante tratarmos disto quando falamos sobre os caminhos futuros do mobiliário.

Read More 0 Comments

macrotrend | o desejo comportamental pela essencialidade

“Precisamos (nós, os designers) certamente contribuir para que todo o mundo viva uma bela vida. Aqui em Milão tem tanto design, mas a pergunta è: o design pode nutrir o mundo? Nào, ele nào salvará vidas. Mas pode ajudar a conduzir uma vida melhor.” Philippe Starck, Abril de 2015.

Read More

trend | Novas funçòes no Design

Trago aqui cinco funções relacionais recentes do design, ou ampliadas, e que pelo visto são jà tendências projetuais importantes, visto que estão no portfòlio ou em produção inicial nas players mais importantes do sistema de Design Made in Italy:

Read More

trend | Conceito de Trasmutaçào = Transformação + Preciosidade

Sempre de forma multidisciplinar, agora os designers atuam com cientistas, geólogos e artesãos usando nào apenas o saber fazer ancestral mas um mix disto com as tecnologias atuais como a impressão 3D. O resultado primário è que materiais baratos e comuns estão tendo um novo papel, muitas vezes mais precioso.

Read More 0 Comments

macrotrend | Alchimia

Se o alchimista nos tempos antigos dedicou a sua vida à transformação dos materiais, do ordinário ao mais precioso, a pergunta que faço aos designers hoje è: se o projetista è o novo alchimista, que coisa pode ser projetada aplicando o processo de trasmutaçào?

Read More 0 Comments

trend | A Física e a Biologia invadem o imaginário quotidiano

Read More 0 Comments

futuro | Designers devem saber os 4 atributos chave de produto

Falar de futuro è um tema que muito me estimula, afinal, faço isso para empresas de moda, design e gastronomia, atravès do instrumento que denominamos de construçào de cenário futuro. Que nada tem de profecia, adivinhação e sim, è o resultado de pesquisa e análise do passado e do presente!

Read More 0 Comments

Calendàrio Pirelli: vitòria do novo feminismo moralista?

Faz discutir o novo calendàrio Pirelli. A eliminaçào do corpo jovem e tònico do calendàrio mais famoso do mundo seria a vitòria do novo feminismo moralista que gostaria provavelmente de cancelar todos os canònes estèticos? Somos todas belas assim como somos, entào tambèm com nossos defeitos e imperfeiçòes, extamente como disse e fez Annie Leibovitz, concordo.


Mas a minha pergunta sem ironia è filosòfica: se, somos todas belas, nenhuma è verdadeiramente bela. E se nenhuma è bela, nenhuma è verdadeiramente è feia. Umberto Eco, ironizam alguns comentaristas, deverà escrever um novo livro entào...a Història da Bela Feiùra...


Penso que estamos vivendo um completo ribaltamento dos papèis, ou ainda uma verdadeira eliminaçào do papel sedutor (quando saudàvel) das modelos, e entào de mulheres que realmente tem um appeal estètico belo. Pergunto entào porquè em uma època onde a beleza visual è tào fàcil de obter, e aquela verdadeira tào simples de mostrar, e entào de poucas eleitas (e por isso almejamos tanto!) assuste tanto, a tal ponto de ser eliminada do calendàrio que, ironia da sorte, pròprio a Beleza do corpo feminino deve o seu sucesso...


O Feminino è belo, pois belo, porquè negà-lo?

0 Comments

wunderkammer | O novo Classicismo com Formafantasma

Sou fà desta dupla desde a sua estrèia no mundo do Design em 2009: os designers, ou melhor, a dupla criativa Formafantasma, de Andrea TrimarchiSimone Farresin, colocaram em mostra a mais nova coleçào, que reforça a grande tendència projetual de 2016, e que veremos no nosso pròximo ebook, o retorno ao Classicismo. Inspirados nas viagens da època romàntica, chamada de “tour d’Italie” onde os filòsofos e artistas vinham à Itàlia para viagens de conhecimento e descoberta, mas principalmente para buscar inspiraçào, eles pesquisaram na grande beleza de Roma elementos para a nova coleçào.

 

Vemos referència a muitos mosaicos, afrescos, esculturas em màrmore, ceràmicas, lanternas e armaduras, todas da antiguidade. A coleçào Delta, faz parte de um elemento expositivo da Privato Romano Interno, programa de design contemporàneo curado pela Galleria O. Roma que busca jovens designers internacionais para a produçào de mobiliàrio com ediçòes limitadas.

 

Conhecidos (e amados, ao menos por mim) pelas sèries Autarchy, Botanica, De Natura Fossiulium; e pelas conferèncias que lançam tendèncias, como a ‘Parallels‘ na National Gallery of Victoria de Melbourne; e mostras cheias como as realizadas no Istituto Italiano di cultura de Paris e na Casa Trussardi de Bergamo eles contam que o segredo do sucesso è o mix que fazem entre design e tradiçào.

 

O que gostei muito foi de saber que esta tendència projetual, que chamaremos de Novo Classicismo, para eles retorna em funçào do mundo de amanhà. Para dar forma ao que virà è necessàrio repensar as nossas mùltiplas raìzes…E nesta època de Pos-Modernismo, onde existe a necessidade de recriar este conceito e o do que è a Natureza, eles contam que muitas influèncias vem da cultura rural antes da industrial justamente porque os instrumentos desta tem uma forma perfeita, tendo sido desenhada no tempo.

 

Em uma època històrica que causa horror, a ùnica coisa que resta è o desejo de qualquer coisa de sòlido, radicado e que perdure no tempo…

Read More 0 Comments

wunderkammen | Pedras em extinçào voltando ao Design

Estamos verificando o grande retorno do màrmore em cores fortes e veios decididos no interior design e tampos de cozinha. Vi ontem, por exemplo, no interior do Armani Hotel aqui de Milào um revestimento similar, mas no padrào de antigas pedras preciosas, que descobri serem inspiradas no…Opificio delle Pietre Dure de Firenze. E’ um dos novos projetos de uma empresa chamada Laminam e que representa um desafio criativo. A filosofia deles tem um approach diferente e inusual de pesquisa e desenvolvimento de produtos.

 

As ceràmicas que eles realizam sào uma còpia perfeita das pedras nas quais se inspiram! Realizaram uma seleçào de antigas pedras preciosas nào mais disponìveis na Natureza e que foram empregadas largamente no passado para enriquecer as residèncias e palàcios nobres europeus. A coleçào que inaugurou esta fase em Laminam foi Pietra Paesina. Apòs, na linha Naturali temos novas texturas como a Arenaria fossile, Pietra di Savoia, Bianco Statuario com veios de màrmore com sensaçào tàctil de veludo e o Travertino Romano. As empresas que usam muito este material – Laminam On Top, em vàrios padròes – sào  Scavolini,  Lube, Alno Ag Cucine, Zampieri Cucine. A Calligaris usou no Tavolo Airport, a Bonaldo no Tavolo Octa e a Moroso no tavolino Phoenix. Este ano a empresa esteve presente no Workplace 3.0 – Salone Ufficio 2015 com o padrào Plumbeo Ossidato, como vemos nas imagens..

Read More

zeitgeist | Os caminhos que o catàlogo IKEA nos revela

Desde que moro na Itàlia recebo, nas primeiras semanas apòs as fèrias de Agosto, em casa, o maior catàlogo em unidades do mundo (220 milhòes de còpias) da IKEA e sua nova coleçào de mobiliàrio. Como Trend Analyst, analiso nào apenas o design dos mòveis, materiais e conjunto comercial mas tambèm como evolui o nosso lifestyle, jà que ele è um bom termòmetro para tanto, sendo um catàlogo global. A primeira reflexào entào, paradoxalmente,  è que ele nào è de fato, global. A capa que sai na Itàlia (link catalogo Ikea 2016) tem como conceito “Gustati la vita. Ogni giorno” (Saboreie a vida. Todos os dias) enquanto que na França è “Les petites choses font les grands moments” (As pequenas coisas fazem os grandes momentos). Nenhuma diferença substancial, mas um foco diferente, mesmo que seja dentro do tema Gastronomia +Vida Simples=Enjoy it!

0 Comments

Fast Is Finished 

Read More 0 Comments

comportamento | Como os Millenials estào mudando a Hotelaria

Escrevi para a Revista Decore (pode fazer o download aqui) um artigo sobre como as empresas italianas de design estào atendendo a nova geraçào de consumidores, os Millenials. Complementando o artigo, deixo aqui uma informaçào que vai interessar às empresas e designers que se ocupam de um setor em grande crescimento: a hotelaria, pois sabemos que eles estào mudando nào apenas a economia, mas tambèm…o design interno dos hotèis, sabiam? Esta “clientela” que concebe a tecnologia como uma espècie de prolongamento do pròprio corpo espera encontrar no hotel ambientes onde reinam o digital e os dispositivos mais modernos.


Mas isso jà sabemos, certo? E atè aqui, nada de novo. As mudanças sào outras...


Adeus papel, adeus escrivaninha, adeus armàrios! Os quartos serào de ùltima geraçào para satisfazer estes hòspedes. Mas, como projetar os interiores destes futuros hotèis a estes usuàrios? Se vocè costuma frequentar hotèis onde ainda deve pedir por favor a senha wifi (e incrivelmente ainda paga por isso a parte) saiba que as redes que agem assim estào com os dias contados (acesso wifi livre no quarto hoje è como ter àgua na torneira e ar-condicionado, ou seja, bàsico) e entào, ajude-as a mudar, salvando este post e levando no pròximo check-in. Pois nele estào as previsòes de futuro para este setor, vindas do maior especialista no tema, o Hotels News Now, dos EUA:


1 – Os hòspedes poderào controlar a iluminaçào e as luzes diretamente dos seus tablets.

2 – Os hòspedes poderào conectar-se via Bluetooth no espelho do banheiro para fazer download de conteùdos em streaming; os espelhos terào speakers integrados para consentir a escuta de conteùdos àudio.

3 – Adeus escrivaninha: o millenial è habituado a trabalhar na cama (nào sou desta geraçào mas confesso fazer isso muitas vezes! risos)

4 – Teremos apenas duchas, adeus a banheiras. Isso jà acontece aqui na Europa hà tempos, pois o desperdìcio de àgua è notàvel no uso de banheiras. Sem contar que sào muitas vezes anti-higiènicas.

5 – Os quartos terào apenas superfìcies duras como piso, pois os carpetes sào percebidas como sujas e cheias de elementos estranhos. Levante a mào quem nào è millenial mas tem pitis quando entra num quarto de hotel com carpete. Argh!

6 – O armàrio tradicional nào irà mais existir. Para os millenials nào è necessàrio ocultar ou repor os objetos em contenedores fechados. Imagine o quarto do seu filho adolescente hoje. E’ isso mesmo. E outra, este pùblico nào è do tipo que leva em viagem terno e gravata e camisas que nào podem amassar como os executivos yuppies da dècada de 80 ou os atuais CEO. Lembrem-se sempre do look de seu lìder, o bilionàrio do Facebook Mark  Zuckerberg e vocès saberào que tipo de closet o hotel do futuro vai precisar.

7 – Os quartos serào o reino do digital. Por exemplo, os televisores serào utilizados para dar um toque de arte para o local, funcionando provavelmente como quadros, com a possibilidade de mudar de sujeito frequentemente. Ano passado ao me hospedar em Dessau (Alemanha) em uma famosa rede internacional, quando entrei no quarto fui saudada pela tela da televisào que continha meu nome, minha proveniència e uma lista de museus e locais com belas imagens que eu poderia gostar de visitar. Como sabiam? Estava no mòdulo que preenchi na reserva. Adorei!

8 – Nào teremos mais mesas nem cadeiras, pois o serviço no quarto nào serà mais efetuado. Hoje jà funciona assim, pois o Millenial gosta de explorar o mundo ao seu redor e nào fica certamente parado no quarto de hotel. Quero conhecer os melhores e mais cool restaurantes do entorno e serve-se no self-service do hotel.

9 – A forma fìsica e mental dos Millenials deve ser diariamente estimulada atravès de fitness e atividades orientais, como yoga, meditaçào, por exemplo. E se possìvel, uma bela sala jogos com ping-pong e coisas do gènero, jà que ele gosta de socializar atravès de desafios.

10 – O staff do hotel deverà falar muitas lìnguas mas nào apenas a nìvel de idioma. Deve saber a diferença entre um download e um streaming, um cabo USB e conectores para iPhone ou Samsung. Se a nossa geraçào queria um secador de cabelos, pode ser que esta queira um tablet em uso durante a estadia. Porque nào?


O que vocè acha?


0 Comments

material | Màrmore multicolorido

Read More 22 Comments

comportamento | Como adquirimos?

Read More 0 Comments

food | Gourmetizaçào e sua influència no Design das Cozinhas

Read More 0 Comments

comportamento | Porque o Vintage continua no Design?

Jà terminamos o nosso Report de Tendèncias para 2016, e uma parte dele serà disponibilizada aos leitores atravès de mais um ebook do Projeto Conteùdo. Enquanto isso, trago por aqui um dos elementos que ainda constituem grande parte da inspiraçào para muitas empresas de mobiliàrio em 2016-2017: o fenòmeno Vintage.


Na moda, nos objetos, no design de mobiliàrio, na cultura, no lifestyle (estilo de vida), principalmente o da Geração Y ou Millenials, mas tambèm seus pais, esta “busca do passado” està cada vez mais no presente, influenciando muitas das escolhas de objetos de consumo. Mas, ainda?


Mulheres-como pinup 50s, o sucesso de Lana del Rey (acima uma imagem sua que a retrata como uma mulher dos anos 60) na rede de moda Urban Outfitters, a volta das mesas de fórmica, o design gràfico com cara de “antigo” sào manifestaçòes no concreto de um fenômeno mundial, fortemente vivido na nossa sociedade ocidental.


Ele sempre existiu, para deixar claro, mas explodiu em 2007 com o lançamento de Mad Men (jà postei aqui sobre sua influència no mobiliàrio, lembram?). Na sequência da série, a febre retrò aproveitou o resto da cultura pop: Amy Winehouse com aquele seu jeito anos 50, ganhou 5 Grammy Awards em 2008, e neste mesmo ano um grupo de pessoas salvou a produçào de Polaroids dando origem ao The Impossible Project. No cinema, em 2011 o filme The Artist, em preto e branco, de Michel Hazanavicius chegou em Hollywood, sendo premiado pelo Oscar.


O vintage nos tranquiliza…

À força de ouvirmos e sentirmos que o amanhã é incerto, como poderia a Geração Y se acostumar a olhar para o amanhà? O medo do futuro é uma das razões para a nossa mania de coisas vintage ou rétro… Penso que quando visitamos o passado, queremos na verdade buscar nas raízes motivaçào para vivermos  o presente. O sucesso de tantos elementos na arte, no cinema, na moda e no design, seria para a nossa geração uma espécie de “cobertor de segurança”, uma pedra talismà para segurarmos no meio de uma era e de uma sociedade na tempestade. Esperando o que virà.


Da outra parte, diria que è atè perigosa esta nossa volta ao passado como fonte de segurança, porque na verdade é um passado revisto, fantasiado, com a sua prte sombria esquecida. A amnésia geral parece alimentar o discurso eterno de “era melhor antes” nestes períodos  de crise. E’ o famoso paraíso perdido, mesmo que ele não fosse um paraíso. Há um lado fantasia, açucarado, justamente para torná-lo perfeito e hipnótico…


Enquanto isso, muitas players de Design continuam “desenfornando” suas parcelas de passado em produtos, que, felizmente, alèm de confortàveis para nossas lembranças, sào interessantes. Vejam neste site que acompanho semanalmente alguns exemplos e inspirem-se!

Read More 0 Comments

italianità | Tecidos ditando moda em Game of Thrones

Trago aqui para vocès pois achei muito interessante: a Rubelli, empresa tèxtil que fornece a grandes empresa do Design Made in Italy como Casa Armani por exemplo, desenvolveu padròes de tecidos buscando inspiraçào e referèncias na època Medieval. Justamente para a execuçào dos vestidos dos personagens mais famosos da atualidade: os do seriado Game of Thrones, que se desenvolve nesta època. Mais uma prova da alta qualidade e do nìvel de pesquisa desta trendsetter italiana!


Prestem muita atençào pois os mesmos padròes serào vistos no pròximo Salone nas maiores empresas de estofados, jà que è um motivo que està em alta na Moda, como verifiquei na ùltima Milan Fashion Week.

Read More 0 Comments

R-EVOLUTION: Como as descobertas influenciam nosso Comportamento

Read More 0 Comments

Tryvertisin: uma nova forma de publicidade e de consumo

Em meados de agosto viu-se uma uma centena de pessoas à espera para entrar em uma nova loja no bairro de Frederiksberg de Copenaghen. Com o slogan “try before you buy” (experimente antes de comprar), Simon Taylor, fundador da Freemarket, ofereceu uma nova maneira de fazer compras, ou seja,  “vender” produtos de graça em troca de publicidade em redes sociais!!!


Para aderir à filosofia de Freemarket você precisa se cadastrar no site da loja e deixar seus dados pessoais: idade, sexo e hobbies. Mas a regra mais importante é tirar uma foto dos itens escolhidos e publicá-las no Facebook, Twitter ou Instagram acompanhado de uma descrição e julgamento. Além disso, o cliente deve pagar uma irrisória taxa mensal – cerca de 2,50 euro – para a manutenção das instalações. Você pode escolher apenas dez produtos por mês, todos diferentes uns dos outros.


Nova forma de fazer publicidade?

“É uma nova forma de publicidade”, diz o fundador, ex-funcionário de uma agência de publicidade (imagem abaixo com seus colaboradores), que apenas teve a idèia de remodelar as estratégias de marketing, adaptando-se a era do compartilhamento de 2.0 e ao boca a boca “internet.” Não é mais, portanto, uma empresa que convence o consumidor a experimentar um produto (como era na publicidade tradicional), mas é o consumidor a escolher; já não é a marca para decidir o destino de um produto, mas é o cliente que expressa sua opinião.


Conceito “tryvertisin”

Em uma troca de pontos de vista e satisfação mútua, Taylor segue o conceito chamado “tryvertisin“: a empresa recebe publicidade para seus produtos, informações de clientes, e amplia o leque de contatos, enquanto o comprador está gastando quase sem colocar as mãos na carteira. Os regulamentos de privacidade são respeitadas, mas em um período histórico em que, graças às redes sociais são constantemente monitorados, esta será uma nova maneira de ser “arquivado”... Cloetta, Storck, Läkerol, San Pellegrino são as empresas que se comprometeram a encher as prateleiras da loja.


Novo comportamento de consumo? 

Freemarket é uma oportunidade para testar os seus produtos e seu impacto sobre um pequeno mercado, analisar o comportamento de compra e fazer uma avaliação antes de lançar nacionalmente. A loja – que no início era um site on-line onde os pedidos eram entregues pelo correio – está tendo um feedback positivo: em menos de um mês se passou de 5.000 para 10.000 clientes. Depois de passar o teste decisivo com um país como a Dinamarca, o fundador já planeja abrir outra Freemarket na Suécia e na Finlândia em 2015 e na Inglaterra, em 2016.


Serà que funcionaria no Brasil? Compartilhe, pois serà bem interessante!

0 Comments

comportamento | O Consumo do Cool na Neuroeconomia

Read More 1 Comments

comportamento | Googlemania e a Amnèsia Digital

Se vocè responde “Peraì que vou dar um Google” quando nào sabe de algo, è melhor ler este post. Antes que vocè esqueça!


Novos tempos, novas “doenças”: a Amnèsia Digital

O uso excessivo de Google – ou qualquer outro motor de pesquisa na internet – e do smartphone como guru de todas as respostas que nos sào perguntadas foi batizado na Inglaterra recentemente como Digital Amnesia. Olhar para estes “salva-vidas digitais” para responder tudo (ou quase!) està gradualmente enfraquecendo a nossa memòria, e isso nào è uma impressào, foi identificada em alguns estudos no Kaperski Lab atravès de uma amostragem heterogènea de pessoas, dos 14 anos atè a idade adulta, que utilizam as tecnologias quotidianamente. Os resultados evidenciaram que pouco menos da metade dos adultos conectados nào recorda mais o nùmero de telefone do pròprio parceiro (dè uma risadinha se com vocè acontece o mesmo!) enquanto 71% nào consegue memorizar o dos pròprios filhos. Metade dos entrevistados entre 16 e 24 anos ao invès declarou que o pròprio smartphone funciona como enciclopèdia digital, dos contatos atè a agenda, atè noçòes de qualquer gènero.


A longo prazo?

Bem, este novo comportamento ainda nào està tendo complicaçòes agora – jà que a geraçào que nasceu tendo ele como “standard” ainda è muito jovem, mas a longo termo teme-se que nào teremos mais recordaçòes no nosso HD interno, ou seja, elas estarào todas inseridas em nossas “clouds” digitais, passìveis de hackers e, o pior pesadelo, perda de dados. O que sabemos è que nào hà retorno: em um artigo do Telegraph do inìcio deste mès (aqui) sobre isto, li que Kathryn Mills, especialista do UCL Institute of Cognitive Neuroscience, afirma que usufruir de uma conexào internet equivale ao acesso à àgua corrente e à rede elètrica em muitas sociedades.


Porque esquecemos?

O ato de esquecer-se nào è negativo di per se, pois o ser humando se adapta perfeitamente às situaçòes e se nào recordamos tudo è porquè nào nos è ùtil. O problema è quando removemos informaçòes que nos servem, como por exemplo, a senha do cartào de crèdito. E aqui, a disponibilidade 24hs/7dias – ilimitada – de internet, motores de pesquisa e devices (smartphones) ligados todo o momento nos induz a darmos menos importància à assimilaçào autònoma de informaçòes, rendendo-nos claramente dependentes dos instrumentos que trazemos conosco. O efeito zapping ligado ao uso compulsivo de muitos devices ao mesmo tempo (hoje se olharmos em torno possuìmos um smartphone, um iPad, um Notebook, a TV Wi-Fi e os usamos contemporaneamente) desenvolveu o multitasking, mas comprometeu a capacidade de concentraçào em ambientes onde è solicitada a atençào prolongada.


O cenàrio è um pouco negativo, o que podemos fazer para mudà-lo? Envie a sua sugestào!

zeitgeist | Nomadismo contemporâneo e novos modelos habitativos

O conceito de nomadismo, na era da revolução digital, está mudando os percursos profissionais e de consumo, alargando as fronteiras multiculturais e conferindo aos modelos do habitar uma maior flexibilidade. Por escolha ou casualidade um nùmero sempre grande de pessoas está fazendo uma vida em contínua mudança, principalmente jornalistas, fotógrafos, escritores, artistas, designers, pesquisadores, para os quais as novas tecnologias constituem um instrumento de trabalho e de comunicação indispensável!


Quais são as características destes novos nómades?

São os novos nòmades aqueles que pelo lifestyle (estilo de vida) amam atravessar fronteiras físicas e psíquicas. Mas atençào: mudar de vida continuamente requer um bom conhecimento de si mesmo, de suas forças e fraquezas. Estes se contaminam dos saberes e linguagens diversas e recusam enraizar-se com uma identidade física, constritiva e infeliz. Se o “entorno” nào lhes agrada, mudam e pronto! São os pioneiros de um novo modo de entender o trabalho (móvel), a carreira profissional (múltipla) e o modo de relacionar-se com os outros (verdadeiro, sem preconceitos).


E o mobiliário, o que tem a ver com isso? 

Na mobilidade que os distingue os modelos do morar nào são mais um local ancorado ou imóvel no tempo, mas sim um “ninho móvel” que os segue nas suas andanças e reflete um estilo de vida que ensina a essencialidade. Nós, os nomades, nào podemos “carregar” muita bagagem! Um exemplo extremo de mobiliário proposto para o nomadismo contemporâneo e ao conceito de viver para o mundo veio do designer Pascal Tarabay e Catalina Tobon, que no Salone Saltellite apresentaram o projeto Homes, uma casa portátil que se dobra e cabe em uma bolsa, e segundo a necessidade pode se tornar um tapete que dà tudo aquilo que è necessário para viver. Eles criaram um verdadeiro e próprio kit para o novo nòmade!


Mais conceitual foi o projeto do designer basco Martín Ruiz de Azúa que criou a “Casa Basica”, um objeto misterioso (acima) realizado em polièster metálico resistente, que dobrado sobre si mesmo se pode guardar no bolso e quando soprado com ar ou com o calor do corpo se transforma em um etéreo ninho de 2x2x2 metros. Reversível, tem um lado prateado que o protege do calor e um dourado que è barreira contra o frio. Ideal para situações de extrema emergência!


Uma parte da coleçào Objets Nomades da Louis Vuitton mostrada neste mais recente Fuorisalone que segue este conceito vocè pode ver no vìdeo abaixo:

Read More 0 Comments

zeitgeist | Consumir para viver ou para morrer?

Zygmunt Bauman, um grande pensador contemporâneo, nasceu na Polônia em 1925 e atualmente, vive na Inglaterra. Professor emérito de sociologia da Universidade de Leeds, Bauman propòs o conceito de “modernidade líquida” que abordamos tantas vezes por aqui e nos nossos ebooks, para definir o presente, em vez do já batido termo “pós-modernidade”, que, segundo ele, virou mais um qualificativo ideológico.


Modernidade Lìquida? 

Bauman define modernidade líquida como um momento em que a sociabilidade humana experimenta uma transformação enorme: temos a metamorfose do cidadão em indivíduo em busca de afirmação no espaço social; a passagem de estruturas de solidariedade coletiva para as de disputa e competição; o enfraquecimento dos sistemas de proteção estatal às intempéries da vida, gerando um permanente ambiente de incerteza; a colocação da responsabilidade por eventuais fracassos no plano individual; o fim da perspectiva do planejamento a longo prazo; e o divórcio e a iminente apartação total entre poder e política.


Sociedade de Consumo

Seus estudos focalizam muito no que entendemos por “sociedade de consumo”, ou a “sociedade do shopping”. No próprio ato de comprar, explica Bauman, nós estamos querendo atingir uma promessa de vida mais feliz. De acordo com os ditames desta economia, somos levados cada vez mais a desejar novos bens e a querer consumir por uma questão de realizaçào do sonho de felicidade. Neste sentido, nós permitimos que nossa razão de ser no mundo seja identificada com o ato de consumir.

Consumimos, entào existimos.


Mas, aonde vai nos levar este comportamento? Zygmunt Bauman afirmou que obviamente o homem, sendo consumidor da riqueza do mundo que habita é tambèm responsável pelo consumo dos recursos do planeta e, mesmo que até agora tenhamos milhares de propostas de usá-los de uma forma mais saudável e sustentável, este continua a ser um grande paradigma. Na lògica atual, o crescimento do PIB, que resulta deste comportamento, è um dos únicos parâmetros do progresso dos governos e da evoluçào dos cidadàos. Nào està certo e nào deveria ser assim!


Ele afirma que este progresso é pensado não mais a partir do contexto de um desejo de evoluçào positiva, de corrermos para a frente, mas em conexão com o esforço desesperado para nos mantermos na corrida! Você ouve atentamente as “informações” da mìdia que deve jogar fora os casacos que estiveram muito em voga no ano passado e que agora, se você os vestir, parecerá um perdedor. Ou você recebe a ordem de que usar coletes da cor amarela deve ser o must da temporada. E obedecemos, como se nossas mentes fossem “manipuladas”. Fossem?


Nesta sociedade o truque é virar surfista: è manter o ritmo com as ondas. Se não quiser afundar, mantenha-se surfando – e isso significa mudar o guarda-roupa, o mobiliário, o papel de parede, o olhar, os hábitos, em suma, você mesmo, quantas vezes puder. Esta ênfase em eliminar as coisas – abandonando-as, livrando-se delas –, mais que sua apropriação, ajusta-se bem à lógica de uma economia orientada para o consumidor.


Ter pessoas que se fixem em roupas, computadores, móveis ou cosméticos de ontem aqui è desastroso para a economia, cuja principal preocupação, e cuja condição sine qua non de sobrevivência, é uma rápida aceleração de produtos comprados e vendidos, em que a rápida eliminação dos resíduos se tornou a vanguarda da indústria.

0 Comments

consumo | Dark times ao chocolate?

Chocolate Texture by Nendo 2015
Chocolate Texture by Nendo 2015

Ficamos surpresos no final do ano passado com a notìcia da americana Mars Inc. e do colosso Barry Callebaut (aka maior produtor de chocolate no mundo, com sede na Suìça), que o preço do chocolate vai aumentar cada vez mais, isso se ele nào acabar quase definitivamente. Mas nào è apenas culpa do efeito estufa, e sim do nosso comportamento: estamos comendo muito mais do que se consegue produzir.


Somente em um ano, o cacau, ingrediente principal, aumentou de 1/4, registrando o pico no mès de agosto:  3 mil dòlares por tonelada. Em 2007, por exemplo, ele chegou a mais ou menos 2 mil dòlares e, se continuar assim, em 2030, o gap entre demanda e oferta pode superar as 2 milhòes de toneladas… Para muitos experts, logo logo este delicioso alimento vai se tornar um bem de luxo, no mesmo patamar do champagne. Mas, o que o Design tem a ver com isso?

Read More 0 Comments

zeitgeist | Quando o mood social influencia o Design

Em algum momento de sua existência, você irà a uma concessionária (ou loja de mobiliário) para analisar a compra de um carro (ou de um dormitório). E quase certamente, enquanto você está motivado pelo preço e características, irà querer algo que tenha um “estilo” que se aproxime do seu mundo pessoal. Mas jà se perguntou o que o impulsiona para esta forma, cor, modelo especifico?


Carros, assim como mobiliário, refletem o Zeitgeist (espírito de sua época), e vou explicar porquê.


Esta relação nào è uma novidade, tendo um de seus primeiros ensaios, o ”Cultura Popular e o Mercado de Ações”, publicado jà em 1985 por Robert Prechter. Nele, o pesquisador observou correlações entre movimentos importantes no mercado de ações e tendências culturais, como música, filmes, moda, política, design e styling dos automóveis. A causa de mudanças era a mesma: um humor inconsciente social compartilhado, que oscila naturalmente e inevitavelmente entre os pólos de otimismo e pessimismo. Estes “surtos” influenciam o mercado de ações, a economia como um todo, e entào, o Design.


A Socioeconomia não consegue prever tudo, mas oferece uma excelente perspectiva, atravès da análise de muitos tipos de tendências sociais junto do comportamento humano. Ela consegue quantificar e antecipar alguns insights preciosos, por exemplo, quando o humor social começa a aumentar – sinalizado pelo avanço do mercado de ações a partir de uma significativa baixa – as modas se tornam mais coloridas, e estrutura e tradição começam a dominar a arte popular.


Read More 0 Comments


STUDIO FAH MAIOLI - Milan & Antibes

MAIL | contact@fahmaioli.com

INSTA | fahmaioli

FACE | fahmaioli

LINKEDIN | fahmaioli

PINTEREST | fahmaioli