foodlover | A cerveja original

o hábito do “vamos tomar uma cervejinha no bar” nasceu na Augustiner-Bräu de Munique, SABIAM?

Neste dia cultural, vocè pode descobrir onde nasceu o hàbito mundial da "cervejinha depois do trabalho" junto de petiscos e ainda por cima fazer duas paradas #foodlover (almoço e jantar), para provar a verdadeira gastronomia bavarese. Nào sào turìsticos nem na qualidade, nem no serviço, e, oh que maravilha, nem nos preços. Anotem aì, e depois me contem:

O Brezel ou Laugenbrezel, Pretzel, Pretzl, Breze ou ainda Brezn, aqui em Munchen acompanha sempre o Weißwurst (Wurst, salsicha de vitello e pancetta de porco) junto da mostarda doce, como vemos acima.

A München (Munique) existem hoje 6 fábricas de cerveja e a mais antiga è a Augustiner, fundada pelos frades agostinianos em 1328. O grande complexo compreendia o Augustinerkirche, convento, a birreria e um anexo local. Em 1803 com a influência napoleônica os agostinianos foram expulsos da cidade e a  igreja foi então desconsagrada (hoje è sede do museu de caça e pesca) e a fábrica privatizada.

Augustiner-Bräu

Para melhor compreender quais são os valores fundadores desta importante realidade gastronômica bavarese, recordo que no tórrido verào de 2003 o birrificio Augustiner-Bräu, mesmo sofrendo uma grande solicitação de produção, disse nào, justificando que assim a sua qualidade seria incrivelmente sacrificada. O respeito à tradição, e a manutenção da qualidade de seus locais, sem americanismos do gênero nem na forma de fabricar a cerveja, nem no menu que a acompanham - e a ausência de campanhas de marketing - a tornam então, ao menos para mim, o ultimo verdadeiro birrifìcio da cidade, e penso que desta parte da Europa.

 

A outra coisa que achei muito interessante, jà que nào sou uma especialista, foi de saber que ela è produzida segundo um standard chamado Edito da Pureza, ou Reinheitsgebot, criado pelo duca Albrecht IV von Bayern em 1487 e que obriga que a cerveja contenha somente 3 elementos: luppolo, água e malto de orzo. Após são adicionados o malto de frumento e naturalmente o lievito. A cerveja que vem produzida aqui nào è vendida atravès de campanhas publicitárias, e ela faz parte, junto de Spaten, Paulaner, Hacker-Pschorr, Hofbräu e Löwenbräu, dos 6 fornecedores oficiais de cerveja oficiais da Oktoberfest.

Em 1885 a famìlia Wagner, proprietària da Augustiner, transfere os estabelecimentos para Landsberger Straße 31-35 e pede ao arquiteto Emanuel von Seidl de remodelar a birreria-restaurante na Neuhauser Straße 27, à pouca distância do lugar original da sua fundação. Na via para pedestres que liga Stachus com o ponto central, a Marienplatz, entre igrejas e lojas super bonitas, aparece a fachada central da Augustiner. O local è adorável, com aquele mood bem bavarese e è dividido em duas partes: a birreria com entrada à direita e o restaurante com ingresso à esquerda. Eles se comunicam com uma porta central perto dos banheiros, então você pode entrar em qualquer um.

 

Eu prefiro sempre o restaurante pois è mais tranquilo e a decoração è muito interessante: parece uma casa de montanha, e nào faltam troféus de caça pendurados na parede. Veganistas ou animalistas, recomendo de ficarem bem longe… No fundo do restaurante fica o famoso biergarten (jardim da cerveja em tradução literal! risos), que è um oásis em pelo centro histórico.

Atmosfera muito acolhedora sempre, um serviço impecável, sem excessos, muito “germânico” è o standard do local. Se for no final de semana ou no período de Carnaval, è muito provável que encontre além de turistas de todo o mundo (durante a semana è mais frequentada pelos locais que trabalham nas redondezas) os torcedores do Bayern Monaco. O que me deixou boquiaberta, jà que estou acostumada ao casino italiano destes torcedores, è que aqui eles são extremamente respeitosos, nunca violentos e quando estão aì, festejam de forma alegre, sem provocações e mà-educaçào. Um sinal de civilidade que deveria ser exportado aos demais países que amam o futebol, certamente. Vuvuzelas, gritos histéricos, mulheres semi-nuas dançando em cima das mesas felizmente nào è o costume deles.

AQUI INDICO O tris de Weißwurst servido com Sauerkraut (conserva de repolho com temperos tipicos) e Kartoffeln (PURE DE BATATAS), junto de uma mostarda feita em casa que è deliciosa. Ao fim, por favor deixe espaço para a verdadeira Apfelstrudel!

A cerveja, confesso, nào è meu maior prazer quando cà venho matar as saudades da comida alemã tradicional, mas jà provei a Edelstoff (na foto acima, no tradicional 0,5l), a Dunkel e a Helles, todas rigorosamente servidas nos formatos de meio e um litro. Uffa! A Pils e a Weizenbier, tambèm podem ser pedidas mas são em garrafa. Os preços são mais altos que a média italiana e francesa (óbvio, eles são os melhores do mundo nisso!) e uma “pinta” è vendida a cerca de 3,75 Euros, fora do período da Oktoberfest, onde os preços duplicam mas o serviço cai de qualidade.

 

Aliás, a nào ser que você tenha menos de 30 anos, visitar München nesta época nào è muito recomendado…Jà fiz esta experiência e è neste período que eles “soltam a franga” literalmente e a cidade se torna um grande carnaval brasileiro…com prós e contras, claramente. Na imagem abaixo, encontrei uma simpàtica festeira do Carnaval alemào, no mesmo perìodo do brasileiro e italiano, vestida a caràter, que adorou posar para a foto!

Bem, quem vai à capital bavarese e nào passa na "casa madre", pode provar tambèm a Augustiner Bräustuben (em Landsberger Straße 19) que è do lado da fábrica de cerveja e tem preços mais econômicos ou pode ir atè a Augustiner Klosterwirt (em Augustinerstraße 1) de frente à Frauenkirche.

 

Onde: Neuhauser Straße 27 - www.augustiner-restaurant.com

Löwenbräu

Para o jantar indico passar na Löwenbräu, famosa pela sua cerveja Märzen. Em alemào seu nome significa “cerveja do leào” e vem de 1383 quando o proprietario da Zum Löwen (cervejaria do leào) iniciou a servir uma bebida de produçào pròpria que imediatamente teve uma grande aceitaçào. Este brand então è considerado um dos mais antigos do mundo!

Na sua estòria recente, em 1997, ela confluiu na Spaten-Franziskaner-Bräu, que foi adquirida pela Interbrew em 2004. Da fusão com a AmBev nasceu o grupo InBev, que os brasileiros conhecem muito bem. Nào è um local bonito como a Augustiner, mas o menu è bem interessante - tem inclusive a opçào vegan que provei abaixo -  e oferece a tradição bavarese em leitura mais contemporânea. Ele merece algumas linhas pois a composiçào de cores è deliciosa, e o sabor, leve e ideal para a noite: feito com batatas viola, base de zucca e trouxinhas de verza recheadas de funghi porcini. Adorei!

Onde: Nymphenburger Strasse 7 - www.loewenbraeu.de

Write a comment

Comments: 1
  • #1

    Rodrigo e Tatiana (Monday, 22 February 2016 12:31)

    ADORAMOS seu post Fah. Estaremos por esta parte da Alemanha em Abril e jà deixei seu post separado aqui. Vamos usar ele muito na nossa visita, pois somos produtores de cerveja artesanal em Pomerode. Obrigada!!!

STUDIO FAH MAIOLI - Milan & Antibes

MAIL | contact@fahmaioli.com

INSTA | fahmaioli

FACE | fahmaioli

LINKEDIN | fahmaioli

PINTEREST | fahmaioli