foodlover | Pane Tranvai

o panettone era uma delìcia apenas para os ricos milaneses. Os pobres? Comiam o "pan tranvai“, que, se posso dizer a verdade, è muito melhor!

No sèculo passado, o famoso panettone milanese aparecia nas mesas dos italianos no Natal, mas apenas àqueles que podiam permeter-se. Insomma, o panettone era uma delìcia apenas para os burgueses ricos. Os pobres? Comiam o "pan tramvai“, que aliàs se posso dizer a verdade, è muito melhor!

Feito com farina de frumento, impastado com zibibbo de "prima scelta" (zibibbo deriva da palavra àrabe zabīb (زبيب) que quer dizer uvetta ou uva passa) e que sucessivamente tomava a forma de um filone do comprimento de meia brioche francesa. Mas, porquè tranvai? Essa è a melhor parte da estòria:

 

Eram tempos de tram a vapore, e a sua velocidade era limitada pela Provincia di Milano no limite màximo de 15 km/hora para evitar que os animais se assustassem, jà que ele passava pelos campos, à èpca existia apenas o centro de Milano. Ele seguia seu curso a passo d’uomo, sempre anunciado pelo trombettiere quando atravessava os centros habitados. Nestas viagens que eram bem longas, apenas crianças tinham apetite e muita fome e entào, este pào era vendido nas fermatas (paradas) dos tram nos anos do pòs-guerra, atè o final de dècada de 60, para que os pequenos tivessem o que comer. A època, vejam sò, era o alimento mais barato e nutritivo que elas tinham acesso!!!

 

Era tambèm o alimento de quem vinha trabalhar na cidade grande e por isso, com o passar do tempo, começou a ser visto como um pào de "pobre", de gente sem muita sorte na vida... E desapareceu, quase que misteriosamente, da nossa estòria gastronòmica lombarda. Felizmente o Panettiere Massimo Grazioli, no seu panificio de via Rossini 15 em Legnano, nunca o tirou de produçào, e seguiu mantendo a receita original que chegou atè nòs e que eu pude, deliciosamente, degustar hoje!

A receita è muito fàcil, pois se trata de um pào recheado com uva passa (figos e nozes tambèm sào permitidas como vemos acima) e o chamam tambèm de panettone dei poveri. Produzido no forno com levitaçào natural, de forma retangular, ele tem um gosto que recorda muito o panettone, e è recoberto de uma glassa zuccherata, ou mesmo açùcar de confeiteiro em pequenas doses...


Atençào porèm ao seguinte: o Pane Tranvai è uma coisa muito sèria, tanto è que existe uma norma disciplinar que o tutela (como a maior parte dos produtos italianos de qualidade) e uma pasticceria, para poder produzi-lo, deve fazer uma solicitaçào formal à Comune di Milano. Entào, se fizer no Brasil e nào tiver esta, chame-o de outro nome. Por ètica e respeito, tutto qui, ok? E se depois, quando estiver aqui na Lombardia e quiser provar ele nas pasticccerias certificadas, acesse aqui e descubra quais sào.

 

Eu paguei 8 € por 300 gr, que è o preço comum por estas bandas, mas vou tentar fazer em casa. Quer saber a receita? Me escreva! Nham nham :)

Write a comment

Comments: 1
  • #1

    best essay (Friday, 17 March 2017 11:56)

    You have an incredible writing skill. The article is exceptionally good and straightforward. This is precisely what I require. I have never thought the selection representatives give careful consideration in online networking like that.

STUDIO FAH MAIOLI - Milan & Antibes

MAIL | contact@fahmaioli.com

INSTA | fahmaioli

FACE | fahmaioli

LINKEDIN | fahmaioli

PINTEREST | fahmaioli